Mutirão

Viagem de Estudos: Uma aula em mar aberto

Viagem de estudos em Angra dos Reis aproximou alunos e professores dos conteúdos e sensibilizou para a preservação ambiental

Uma experiência enriquecedora. Assim, alunos e professores do Colégio Mutirão Objetivo, de Bento Gonçalves, sintetizam os resultados da viagem de estudos realizada de 12 a 17 de agosto na Escola do Mar, em Angra dos Reis, no estado do Rio de Janeiro.

Cerca de 30 pessoas, entre alunos de todos as séries do Ensino Médio, professores e diretores do colégio, participaram da experiência desenvolvida pelo programa pioneiro de Ciências do Meio Ambiente do Objetivo, iniciado há 28 anos com a introdução da disciplina de Ecologia no currículo do educandário e a criação da Escola do Mar, em 1988.

A viagem faz parte do Projeto Viagem de Estudos, retomado neste ano pelo Colégio Mutirão Objetivo, a partir da troca de mantenedores da instituição, ocorrida no final de 2018. De acordo com a diretora da escola, Adriana Bettinelli Postingher, a sala de aula, neste período, foi um pouco diferente para o grupo de alunos. “A lousa deu lugar ao cenário paradisíaco de Angra dos Reis, onde os alunos tiveram aulas teóricas e práticas, nos turnos da manhã, tarde e noite, sobre o ecossistema marítimo, com mergulhos, visita ao manguezal, práticas de laboratório e análises”, destaca a educadora.

A Escola do Mar conta com laboratórios equipados com microscópios, projetores, computadores, estação meteorológica, kits de análise de água, além de dormitórios, refeitórios, quadras de esporte, piscina e embarcações para deslocamento no mar.

Os alunos tiveram aulas sobre segurança de embarcação e navegação, ecossistemas , conheceram fatores básicos de navegação e mergulho, metodologia científica, química da água, conheceram as belezas naturais e o ambiente marinho  da região em aulas de mergulho, navegaram até as ilhas para conhecer os manguezais, visitaram estações petrolíferas, estaleiro de construção de plataformas e coletaram material para estudos nos laboratórios da Escola do Mar. Antes de sair ao mar, os estudantes analisaram as condições do tempo na estação meteorológica, assim como mapas, cartas e instrumentos náuticos.

 

Proximidade com o conteúdo

 

Letícia Zortéa destaca a interação com a natureza: “conseguimos ver o que aprendemos”A estudante Letícia Zortéa, de 17 anos, do terceiro ano do Ensino Médio, acredita que a viagem foi uma oportunidade para se aprofundar nos assuntos relacionados à biologia. “Foi importante porque conseguimos ver o que aprendemos. Foi muito próximo da natureza, o que faz com que grave mais o conteúdo”, reflete.

A conscientização dos estudantes sobre a importância da preservação ambiental é destacada por ela, que avalia que todos os estudantes voltaram transformados. “Conseguimos ver o mar como um organismo vivo”, afirma ela, que considera cursar Biologia no Ensino Superior.

Amanda Coradi acredita em aprendizado verdadeiroA mesma percepção tem Amanda Coradi, aluna do segundo ano, que afirmou que nunca havia tido uma experiência tão rica em ecologia e “aprendizado verdadeiro”. “É difícil colocar em palavras, é diferente ler em livros e ouvir o professor do que ver no local o que efetivamente acontece. Isso cria um peso emocional muito grande”, diz a estudante, que quer trabalhar com arte e design. “Somos todos Biologia. Quero ajudar o mundo de maneiras diferentes”, afirma.

Projeto será anual

As atividades pedagógicas desenvolvidas na Escola do Mar foram elaboradas por biólogos professores da Unip com larga experiência de pesquisa de campo, para levar ao aluno o contato direto com o meio ambiente, por meio de experiências práticas e aulas que desenvolvam uma visão macroecológica de todas as inter-relações entre os vários ecossistemas marinhos.

O professor de Biologia William Lando foi um dos monitores da viagem de estudosA preocupação e a interação escola-comunidade também fazem parte dos benefícios das atividades programadas, acredita o professor de Biologia William Lando, um dos profissionais que acompanhou os estudantes na viagem de estudos. “A maior importância é a união da teoria com a prática. As relações ecológicas estão preservadas. Os estudantes chegaram com uma visão e puderam presenciar de fato a importância da preservação ambiental”, acredita Lando.

Para o professor Carlos Freitas, da direção da Escola do Mar, a semana foi inesquecível. “Alunos que demonstram, de maneira inquestionável, a importância da convivência educacional. Uma qualidade sempre marcante, nos grupos vindos do Mutirão. Alunos alegres, sempre dispostos a vencer seus limites”, elogia, projetando o futuro: “Vendo jovens assim, temos a certeza de que o futuro de nosso país está em boas mãos. Só podemos agradecer a este maravilhoso grupo e desejar ver em breve, mais um grupo de alunos desta escola ímpar que é o Objetivo Mutirão Bento Gonçalves”.

Ao final na viagem, os alunos entregaram um relatório de aprendizado e receberam um certificado de “mini-oceanólogos”. De acordo com a diretora do Colégio Mutirão Objetivo, o  projeto Viagem de Estudos  é parte integrante das atividades  pedagógicas no calendário  Escolar de 2020, para a  escola do  Pantanal Matogrossense.

voltar
  • Rua Osvaldo Aranha, 808
    Bairro Cidade Alta, Bento Gonçalves - RS
  • CEP 95700-206
    Fone (54) 2102-6100

Colégio

Caxias

Bento

Farroupilha

Site Mutirão 2013 - Todos os direitos reservados

Redes Sociais